terça-feira, 18 de agosto de 2009

A IMPORTÂNCIA DA SANTA CEIA






Um estudo da Ceia do Senhor é uma experiência que estremece a alma, por causa da profunda significação que traz. Foi durante a antiga celebração da Páscoa, na véspera de Sua morte, que Jesus instituiu uma nova e significante refeição, uma “refeição de comunhão”, a qual observamos até os dias de hoje, e que é a mais alta expressão da adoração cristã.

É um “sermão vivido”, relembrando a morte de nosso Senhor e ressurreição, e vislumbrando o futuro em que retornará em Sua glória.A Páscoa era a festividade mais sagrada do ano religioso judaico. Comemorava a praga final no Egito, quando os primogênitos dos egípcios morreram e os israelitas foram poupados por causa do sangue de um cordeiro que fora aspergido em seus portais.

Então o cordeiro foi assado e comido com pão sem levedura. A ordem de Deus foi que através das gerações vindouras a festividade fosse celebrada. A história está registrada em Êxodo 12.Durante a celebração, Jesus e os discípulos cantaram juntos um ou mais dos “Salmos Aleluia” (Salmos 111-118). Jesus, tomando o pão, deu graças a Deus. Ao parti-lo e distribuir aos discípulos, disse: “Tomai, comei; este é o Meu corpo que é partido por vós.” Do mesmo modo, tomou o cálice, e depois de ceiar, deu-lhes o cálice, e dele beberam.

Ele disse: “Este cálice é o novo testamento no meu sangue, que é derramado por vós; fazei isto em memória de Mim.” Ele concluiu a ceia cantando um hino e eles saíram pela noite até ao Monte das Oliveiras. Foi lá que Jesus foi traído, como predito, por Judas. No dia seguinte, Ele foi crucificado.Os relatos da Ceia do Senhor são encontrados nos Evangelhos, em Mateus 26:26-29, Marcos 14:17-25, Lucas 22:7-22 e João 13:21-30.

O Apóstolo Paulo escreveu a respeito da Ceia do Senhor por divina revelação em I Coríntios 11:23-29. (Isto foi porque Paulo não estava, obviamente, presente quando Cristo a instituiu.) Paulo inclui uma afirmação não encontrada nos Evangelhos: “Portanto, qualquer que comer este pão, ou beber o cálice do Senhor indignamente, será culpado do corpo e do sangue do Senhor. Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma deste pão e beba deste cálice. Porque o que come e bebe indignamente, come e bebe para sua própria condenação, não discernindo o corpo do Senhor” (I Coríntios 11:27-29).

Podemos perguntar o que significa participar do pão e do cálice “indignamente”. Pode significar ignorar o verdadeiro significado do pão e do cálice, e se esquecer do tremendo preço que nosso Salvador pagou por nossa salvação. Ou pode significar permitir que a cerimônia se torne um ritual morto e formal, ou vir à Mesa com pecado não-confessado. Para guardar a instrução de Paulo, cada um deve examinar a si mesmo antes de comer do pão e beber do cálice, em observância ao aviso.

Outra afirmação de Paulo que não se encontra incluída nos Evangelhos é “Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha” (I Coríntios 11:26). Isto coloca um limite de tempo à cerimônia: até a volta de nosso Senhor. Através destes breves relatos aprendemos como Jesus usou dois dos mais perecíveis elementos como símbolos de Seu corpo e sangue, e os inaugurou como um monumento à Sua morte.

Não foi um monumento de mármore esculpido ou latão moldado, mas de pão e suco de uva.Ele declarou que o pão testemunhava de Seu corpo que seria partido: não houve sequer um osso partido, mas Seu corpo estava tão terrivelmente moído, que dificilmente se reconhecia (Salmos 22:12-17; Isaías 53:4-7). O suco de uva testemunhava de Seu sangue, indicando a terrível morte que em breve experimentaria.

Ele, o perfeito Filho de Deus, se tornou a realização de incontáveis profecias do Velho Testamento a respeito do Redentor (Gênesis 3:15, Salmos 22, Isaías 53, etc.). Quando Ele disse: “Fazei isto em memória de Mim”, indicou que esta era uma cerimônia a ter continuidade no futuro. Também indicou que a Páscoa, que exigia a morte de um cordeiro e vislumbrava a vinda do Cordeiro de Deus que tiraria o pecado do mundo, se fazia agora obsoleta. O “Novo Testamento” tomou seu lugar quando Cristo, o Cordeiro da Páscoa (I Coríntios 5:7), foi sacrificado (Hebreus 8:8-13). O sistema sacrificial não se fazia mais necessário (Hebreus 9:25-28).

A paz amados

UM POUCO DA HISTÓRIA DA IPI DE POUSO ALEGRE- 1979 A 1885

LETRA DA MÚSICA


ouça suas músicas no letras.com.br

SONS


Pesquisar este blog

NÚMERO DE PESSOAS QUE VISITARAM ESTE BLOG

SEJE SEMPRE PONTUAL

NeoCounter

BOLETIM INFORMATIVO DA SEMANA

*Versículo - 2009 "Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com os ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu Deus além de ti, que trabalha para aquele que nele espera. ( Isaías 64:04 ) *Programação da Semana Terça: Culto da família: 19:30hs Quinta: Culto 19:30hs Sábado: Ensaio do Louvor: 18:00hs Reunião de jovens: 19:30hs Domingo: R. de Oração: 09:00hs EBD: 09:30hs Culto: 19:30hs MENSAGEM Eu me viro sozinho! Você precisa dos outros? Você valoriza o auxílio do próximo? A auto-suficiência gera em todo ser humano um sentimento de onipotência que é falso e pode levá-lo a crer que não precisa de mais ninguém para fazer e acontecer. Nem mesmo de Deus. Li certa vez a história de um menino de 3 anos que caminhava ao lado de seu pai. Ele carregava um cantil cheio de água mesmo contra a vontade do seu pai. Já cansado de tanto andar ele lutava para não entregar os pontos pois dissera ao pai que aquele cantil não iria fazê-lo cansar mais rápido e que ele o carregaria até o destino final. Depois de mais alguns metros de caminhada ele finalmente disse: Papai, me dá colo por favor! Então com um sorriso o pai colocou o menino nos ombros e o carregou até o destino. No exato momento em que o garoto foi colocado no chão ele exclamou: Viu só papai, eu consegui carregar o cantil até aqui! Talvez a sua primeira reação seja de sorrir ao perceber a ingenuidade daquele garoto. Mas não é exatamente assim que tantas vezes nós nos comportamos com relação ao nosso Pai Celestial? Na nossa auto-suficiência comportamo-nos como se controlássemos tudo nas nossas vidas. Você consegue viver sem que Deus o permita? Você seria capaz de pensar e sentir alguma emoção se Deus não lhe desse esta capacidade? Você decide quando nasce e quando morre? Você é capaz de decidir ter ou não um câncer? Fazemos planos mas a resposta final vem de Deus diz a Bíblia. É claro que em sociedade organizada podemos nos precaver e planejar algumas coisas, mas que ironia pensarmos que carregamos o "cantil" durante toda a viagem sozinhos. Eu convido você a elevar seus pensamentos a Deus e agradecer pela sua vida, pelas oportunidades e particularmente por Ele amar tanto a você que chegou a dar seu único Filho, Jesus Cristo, para que crendo nele você não precisasse carregar o "cantil da vida" sozinho. "Entreguem todas as suas preocupações a Deus, pois Ele cuida de vocês." ( 1Pedro 5:7 ) DEVOCIONAL *Segunda- Gênesis: 45 - Deus tudo governa, é ele que decide o que é melhor para nós... *Terça- Lucas: 01 - O pano de fundo do nascimento do messias nos leva a refletir sobre fé, humildade e perseverança no Senhor. *Quarta- Salmo: 45 - As palavras que falamos revelam a profundidade do nosso relacionamento com Deus. *Quinta- 2Coríntios: 13 - Devemos buscar com todas as forças a aprovação de Deus em nosso caráter e fé. *Sexta - Isaías: 45 - Deus fez a terra para ser uma bênção, um lugar de alegria, vida e paz. Hoje porém, não vivemos está realidade, mas quando Jesus voltar, ele nos dará este lugar. *Sábado- Hebreus: 01 - Fique em paz. Deus tem colocado anjos do teu lado pra te ajudar, te fortalecer, e você não percebe. *Domingo- Juízes: 20 - Como a depravação do ser humano o leva a tribulação e dor. Gotas de Sabedoria Os grandes momentos da nossa vida chegam quando juntamos a coragem de transformar nossas fraquezas no melhor de nós mesmos. Friedrich Nietzsche

Minha lista de blogs