sexta-feira, 11 de setembro de 2009

O JEJUM A LUZ DA BÍBLIA !


O JEJUM A LUZ DA BÍBLIA !

Mateus: 6:16-18

Quando jejuardes, não vos mostreis contristados como os hipócritas; porque desfiguram o rosto com o fim de parecer aos homens que jejuam.

Em verdade vos digo que eles já receberam a recompensa.

Tu, porém, quando jejuares, unge a cabeça e lava o rosto, com o fim de não parecer aos homens que jejuas, e sim ao teu Pai, em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará.

I - O QUE É JEJUM?

1.1 – Definição.

Jejum é a abstinência, total ou parcial, de alimentos ou bebidas por algumas horas ou dias, por penitência ou prescrição religiosa ou médica. Quando diz abster-se é o mesmo que conter-se, refrear-se, privar-se de alimentos como; cereais, legumes, verduras, açúcar, carne, óleo, etc.).

1.2 – Conceito Bíblico Teológico.

Em geral, na Bíblia, jejum significa passar algum tempo sem ingerir alimentos. É uma abstenção voluntária e deliberada de alimentos, com o objetivo de buscar a Deus em oração. No hebraico a palavra que se traduz por jejum é {wØoc , a transliteração é (tsom). No grego a palavra usada no Novo Testamento é nhstei¿a translitera-se (nesteía).

1.3 - O propósito do jejum.

É atrair a atenção de Deus, não a das pessoas. Como disciplina espiritual, o jejum pode ajudar-nos a convergir a atenção para Deus, mortificando a carne e aumentando a nossa capacidade de nos concentrar mentalmente em Deus e aguçando a nossa sensibilidade para com as coisas do Espírito. Os crentes em Jesus, que com freqüência tem praticado o jejum, confirmam o seu valor na promoção do progresso espiritual e na resolução de problemas difíceis. O jejum tem sido um sinal comum de lamentação e de luto. No sermão do monte, o Senhor Jesus ensinou aos seus discípulos como o jejum deve ser observado. E nesse ensinamento ele inclui também instruções sobre a finalidade do jejum. Nunca deveria ser feito para impressionar os outros.

II - O JEJUM NO ANTIGO TESTAMENTO

2.1 - Buscando a Deus - Moisés jejuou quando estava no monte Sinai (Ex 34.28).

2.2 - Jejum Nacional - Toda a nação israelita jejuava no Dia da Expiação (Lv 23.27ª).

2.3 - Desejando uma Benção - Ana jejuou quando queria ter um filho, e o pediu a Deus (1 Sm 1.12; 12.22).

2.4 - Consagração – O voto do nazireado envolvia a abstinência de determinados tipos de alimentos (Nm.6:3,4);

2.5 - Arrependimento de Pecados – Samuel e o povo jejuando em Mispa, como sinal de arrependimento de seus pecados (I Sm.7:6, Ne.9:11);

2.6 - Luto – Davi jejua em expressão de dor pela morte de Saul e Jônatas, e depois pela morte de Abner. (II Sm.1:12 e 3:35);

2.7 - Aflições – Ester pediu ao seu povo que jejuasse (Et 4.16); o Rei Josafá também convocou um jejum (2 Cr 20.3) Davi jejua em favor da criança que nascera de Bate-Seba, que estava doente, à morte (II Sm.12:16-23); Josafá apregoou um jejum em todo Judá quando estava sob o risco de ser vencido pelos moabitas e amonitas (II Cr.20:3);

2.8 - Buscando Proteção – Esdras proclamou jejum junto ao rio Ava, pedindo a proteção e benção de Deus sobre sua viagem (Ed.8:21-23); Ester pede que seu povo jejue por ela, para proteção no seu encontro com o rei (Et. 4:16);

2.9 - Enfrentando Enfermidades – Davi jejuava e orava por outros que estavam enfermos (Sl.35:13);

2.10 - Intercessão – Daniel orando por Jerusalém e seu povo (Dn.9:3, 10:2,3)

III - O JEJUM NO NOVO TESTAMENTO

3.1 - Preparando-se para o Ministério - Jesus só começou seu ministério depois de ter sido cheio do Espírito Santo e se preparado em jejum (prolongado) no deserto (Lc.4:1,2); (Mt 4.2). Jesus mencionou que determinadas castas só sairão por meio de oração e jejum, que trazem um maior revestimento de autoridade (Mt.17:21);

3.2 - Dedicando-se a Deus - Ana servia ao Senhor no templo, com jejuns (Lc 2.37). João Batista ensinou seus discípulos a jejuarem com freqüência (Mc 2.18; Lc 5.33). E houve quem criticasse os discípulos de Jesus por não jejuarem com freqüência (Mt 9.14,15; Mc 2.18,19; Lc 5.33-35).

3.3 - Servindo ao Senhor e Enviando Missionários - Paulo jejuou nos dias que se seguiram à sua conversão na estrada de Damasco (At 9.9). Cornélio jejuou, antes de ter aquela visão em Cesaréia (At 10.30). A igreja de Antioquia jejuou antes de comissionar a Paulo e Barnabé para a primeira viagem missionária (At 13.3).

3.4 - Estabelecendo Obreiros – Além de impor as mãos com jejum sobre os enviados, o faziam também sobre os que recebiam autoridade de governo na igreja local (At.14:23). Mais tarde, durante a viagem de Paulo para Roma, ele e outras pessoas que estavam naquele navio jejuaram quatorze dias (At 27.33 II Co.6:3-5; 11:23-27). Por toda a história, homens e mulheres buscaram a Deus jejuando, ex: Lutero, Calvino, John Knox, Charles Finney...Tem biblicidade conclamar uma congregação para jejuar.. e Esdras também fez o mesmo (Ed 8,21). Na bíblia, o jejum se acha muito associado à oração (Sl 35.13; Mt 6.5-18; 1Co 7.5).

IV - DIFERENTES FORMAS DE JEJUM

4.1 - Há diferentes formas de jejuar. As que encontramos na Bíblia são:

1. JEJUM PARCIAL.

Normalmente o jejum parcial é praticado em períodos maiores ou quando a pessoa não tem condições físicas de se abster totalmente do alimento (por causa do trabalho, por exemplo). Lemos sobre esta forma de jejum no livro de Daniel:

"Naqueles dias, eu, Daniel, pranteei durante três semanas. Manjar desejável não comi, nem carne, nem vinho entraram em minha boca, nem me ungi com óleo algum, até que se passaram as três semanas." (Dn.10:2,3).

O profeta Daniel diz exatamente o quê ficou sem ingerir: carne, vinho e manjar desejável. Provavelmente se restringiu à uma dieta de frutas e legumes, não sabemos ao certo.

O fato é que se absteve de alimentos, porém não totalmente. E embora tenha escolhido o que aparentemente seja a forma menos rigorosa de jejuar, dedicou-se à ela por três semanas.

Em outras situações Daniel parece ter feito um jejum normal (Dn.9:3), o que mostra que praticava mais de uma forma de jejum. Ao fim deste período, um anjo do Senhor veio a ele e lhe trouxe uma revelação tremenda. Declarou-lhe que desde o primeiro dia de oração o profeta já fora ouvido (v.12), mas que uma batalha estava sendo travada no reino espiritual (v.13) o que ocorreria ainda no regresso daquele anjo (v.20). Aqui aprendemos também sobre o poder que o jejum tem nos momentos de guerra espiritual.

b) JEJUM NORMAL.

Há pessoas que afirmam a possibilidade de praticarem jejum com abstinência de alimentos ingerindo apenas líquido. Afirmam inclusive, que o jejum realizado por Jesus Cristo foi nesta categoria. E outros afirmam que Ele absteve totalmente tanto de líquidos quanto de alimentos sólidos. "Jesus, cheio do Espírito Santo, voltou do Jordão e foi guiado pelo mesmo Espírito, no deserto, durante quarenta dias, sendo tentado pelo Diabo. Nada comeu naqueles dias, ao fim dos quais teve fome." (Mt.4:2). Denomina-se esta forma de jejum como normal, pois entende-se ser esta a prática mais propícia nos jejuns regulares.

c) JEJUM TOTAL.

- Refere-se a abstinência de toda e qualquer forma de alimento, inclusive de água. Na Bíblia encontramos poucas menções de ter alguém jejuado sem ingerir água, e isto dentro de um limite: no máximo três dias, excetuando-se a narrativa bíblica sobre Moisés. A água não é alimento, e nosso corpo depende dela a fim de que os rins funcionem normalmente e que as toxinas não se acumulem no organismo. Há dois exemplos bíblicos deste tipo de jejum, um no Velho outro no Novo Testamento:

- Ester, num momento de crise em que os judeus (como povo) estavam condenados à morte por um decreto do rei, pede a seu tio Mardoqueu que jejuem por ela:

"Vai, ajunta a todos os judeus que se acharem em Susã, e jejuai por mim, e não comais, nem bebais por três dias, nem de noite nem de dia; eu e as minhas servas também jejuaremos. Depois, irei ter com o rei, ainda que é contra a lei; se perecer, pereci." (Et.4:16).

Paulo, na sua conversão também usou esta forma de jejum, devido ao impacto da revelação que recebera:

"Esteve três dias sem ver, durante os quais nada comeu, nem bebeu."(At.9:9).

Não há qualquer outra menção de um jejum total maior do que estes (a não ser o de Moisés e Elias numa condição diferente que explicaremos adiante). A medicina adverte contra um período de mais de três dias sem água, como sendo nocivo. Em geral, na Bíblia, jejum significa passar algum tempo sem ingerir alimentos. É uma abstenção voluntária e deliberada de alimentos, com o objetivo de buscar a Deus em oração. No hebraico a palavra que se traduz por jejum é {wØoc , a transliteração é (tsom).

Devemos cuidar do corpo ao jejuar e não agredi-lo; lembre-se de que estará lutando contra sua carne (natureza e impulsos) e não contra o seu corpo.

V - A DURAÇÃO DO JEJUM

Quanto tempo deve durar um jejum? A Bíblia não determina regras deste gênero, portanto cada um é livre para escolher quando, como e quanto jejua.

Vemos vários exemplos de jejuns de duração diferente nas Escrituras:

1 dia - O jejum do Dia da Expiação

3 dias - O jejum de Ester (Et.4:16) e o de Paulo (At.9:9);

7 dias - Jejum por luto pela morte de Saul (I Sm.31:13);

14 dias - Jejum involuntário de Paulo e os que com ele estavam no navio (At.27:33);

21 dias - O jejum de Daniel em favor de Jerusalém (Dn.10:3);

40 dias - O jejum do Senhor Jesus no deserto (Lc.4:1,2);

OBS: A Bíblia fala de Moisés (Ex.34:28) e Elias (I Re.19:8) jejuando períodos de quarenta dias. Porém vale ressaltar que estavam em condições especiais, sob o sobrenatural de Deus. Moisés nem sequer bebeu água nestes 40 dias, o que humanamente é impossível. Mas ele foi envolvido pela glória divina.

O mesmo se deu com Elias, que caminhou 40 dias na força do alimento que o anjo lhe trouxe. Isto é um jejum diferente que começou com um belo "depósito", uma comida celestial. Jesus, porém, fez um jejum normal com esta duração.

Um comentário:

Natalino disse...

Olá ! Bom dia na graça e na paz do Senhor Jesus.
Vim aqui especialmente para agradecer por seguir meu humilde blog e avisar que tem um Selo comemorativo pelos 200 seguidores. É simples, mas é de todo coração que lhe ofereço.
Muito obrigado!!

http://blogdonatalino.blogspot.com/2009/10/200-seguidores-no-ame-missoes.html

UM POUCO DA HISTÓRIA DA IPI DE POUSO ALEGRE- 1979 A 1885

LETRA DA MÚSICA


ouça suas músicas no letras.com.br

SONS


Pesquisar este blog

Carregando...

NÚMERO DE PESSOAS QUE VISITARAM ESTE BLOG

SEJE SEMPRE PONTUAL

NeoCounter

BOLETIM INFORMATIVO DA SEMANA

*Versículo - 2009 "Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com os ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu Deus além de ti, que trabalha para aquele que nele espera. ( Isaías 64:04 ) *Programação da Semana Terça: Culto da família: 19:30hs Quinta: Culto 19:30hs Sábado: Ensaio do Louvor: 18:00hs Reunião de jovens: 19:30hs Domingo: R. de Oração: 09:00hs EBD: 09:30hs Culto: 19:30hs MENSAGEM Eu me viro sozinho! Você precisa dos outros? Você valoriza o auxílio do próximo? A auto-suficiência gera em todo ser humano um sentimento de onipotência que é falso e pode levá-lo a crer que não precisa de mais ninguém para fazer e acontecer. Nem mesmo de Deus. Li certa vez a história de um menino de 3 anos que caminhava ao lado de seu pai. Ele carregava um cantil cheio de água mesmo contra a vontade do seu pai. Já cansado de tanto andar ele lutava para não entregar os pontos pois dissera ao pai que aquele cantil não iria fazê-lo cansar mais rápido e que ele o carregaria até o destino final. Depois de mais alguns metros de caminhada ele finalmente disse: Papai, me dá colo por favor! Então com um sorriso o pai colocou o menino nos ombros e o carregou até o destino. No exato momento em que o garoto foi colocado no chão ele exclamou: Viu só papai, eu consegui carregar o cantil até aqui! Talvez a sua primeira reação seja de sorrir ao perceber a ingenuidade daquele garoto. Mas não é exatamente assim que tantas vezes nós nos comportamos com relação ao nosso Pai Celestial? Na nossa auto-suficiência comportamo-nos como se controlássemos tudo nas nossas vidas. Você consegue viver sem que Deus o permita? Você seria capaz de pensar e sentir alguma emoção se Deus não lhe desse esta capacidade? Você decide quando nasce e quando morre? Você é capaz de decidir ter ou não um câncer? Fazemos planos mas a resposta final vem de Deus diz a Bíblia. É claro que em sociedade organizada podemos nos precaver e planejar algumas coisas, mas que ironia pensarmos que carregamos o "cantil" durante toda a viagem sozinhos. Eu convido você a elevar seus pensamentos a Deus e agradecer pela sua vida, pelas oportunidades e particularmente por Ele amar tanto a você que chegou a dar seu único Filho, Jesus Cristo, para que crendo nele você não precisasse carregar o "cantil da vida" sozinho. "Entreguem todas as suas preocupações a Deus, pois Ele cuida de vocês." ( 1Pedro 5:7 ) DEVOCIONAL *Segunda- Gênesis: 45 - Deus tudo governa, é ele que decide o que é melhor para nós... *Terça- Lucas: 01 - O pano de fundo do nascimento do messias nos leva a refletir sobre fé, humildade e perseverança no Senhor. *Quarta- Salmo: 45 - As palavras que falamos revelam a profundidade do nosso relacionamento com Deus. *Quinta- 2Coríntios: 13 - Devemos buscar com todas as forças a aprovação de Deus em nosso caráter e fé. *Sexta - Isaías: 45 - Deus fez a terra para ser uma bênção, um lugar de alegria, vida e paz. Hoje porém, não vivemos está realidade, mas quando Jesus voltar, ele nos dará este lugar. *Sábado- Hebreus: 01 - Fique em paz. Deus tem colocado anjos do teu lado pra te ajudar, te fortalecer, e você não percebe. *Domingo- Juízes: 20 - Como a depravação do ser humano o leva a tribulação e dor. Gotas de Sabedoria Os grandes momentos da nossa vida chegam quando juntamos a coragem de transformar nossas fraquezas no melhor de nós mesmos. Friedrich Nietzsche
Loading...

Minha lista de blogs